AJUDA!

shutterstock_276803153-800x400.jpg

Você quer ajuda para diminuir o consumo de produtos animais ou para erradicar de vez? Ou quer se disponibilizar para ajudar alguém?

Preenche esse formulário aqui:

*** O FORMULÁRIO FOI RETIRADO PORQUE JÁ ESTAMOS NO PROCESSO DE COMEÇAR AS DUPLAS. VOLTE OUTRA HORA POIS VAMOS COLOCAR NOVAMENTE PARA UMA SEGUNDA FASE DA AJUDA***

Algumas regras:

– A ideia é formar pares. Vocês tem 1 semana para me enviar e eu vou juntar as pessoas. Assim que formar os pares eu vou enviar um email para ambos apresentando o seu match.

– Assim que receberem o email, a pessoa que for ajudar pode começar quebrando o gelo contando um pouco da sua jornada e dizer qual frequencia está disposta a conversar (pode ser todo dia, uma vez por semana, etc). Também devem combinar como será o contato… se por email, inbox do facebook mesmo, whatsapp, etc.

– Quero lembrar que ISSO NAO SUBSTITUI auxilio profissional, por favor. É mais para questoes de habitos, substituiçoes, duvidas simples, etc.

– QUEM OFERECE nao deve dar conselho sobre suplementaçao, ou qualquer coisa específica que seja necessário um profissional, por favor, use o bom senso.

– QUEM RECEBE a ajuda deve usar o bom senso também para mandar dúvidas e manter seu contato de acordo com a disponibilidade do seu “mentor”.

– Usem linguagem acolhedora, compreensiva e deixe espaço na cabeça aberta para compreender que nossas vivencias e experiencias sao diferentes. Isso serve para ambos.

– As vezes a pessoa só precisa conversar, falar das frustraçoes de tanta coisa chata que ouve sobre tentar ser vegetariana, quer auxilio de como responder algumas duvidas, etc.

OBA!

Eu também vou participar e vou ser match de alguém ❤

 

VEGANISMO 101: Baixe aqui!

Estou muito feliz que finalmente terminei de fazer um documento de 42 páginas que serve como ferramenta para uma iniciação ao veganismo e esclarece algumas dúvidas comuns sobre esse movimento do qual faço parte há cinco anos. Nele vocês poderão ler sobre motivações, razões, o que as pessoas dizem, como começar, um pouquinho sobre cada indústria que explora animais, um pouquinho sobre saúde e nutrição, ambientalismo, crianças veganas, balanceando nutrientes, sugestões, substituições, comidas veganas de diferentes culturas, dúvidas gerais, sugestões de livros e documentários e claro umas receitinhas simples para finalizar.

Screen Shot 2017-02-22 at 3.46.44 pm.png

 

Cadastre-se aqui para receber o PDF.

Como saber se eu estou produzindo leite suficiente?

Vi muito na semana que passou a notícia de uma mãe que diz “Se eu tivesse dado uma mamadeira pro meu filho, ele estaria vivo”, muitas notícias internacionais e agora vi reproduzida no Brasil também.

Primeiro, sinto demais pelo que essa mãe passou, não consigo pensar em nada pior do que perder um filho e ainda mais ter que conviver com essa culpa.

Mas é triste ver que uma certa indústria se aproveita desses acontecimentos para produzir notícias tendenciosas que visam manipulam as nossas opiniões. Se aproveita do sensacionalismo, da dor dessa mãe, da sensibilidade das pessoas e principalmente da insegurança das mães recém-paridas em nome dos seus próprios interesses, que desrespeito!

É só dar uma olhada no tipo dos comentários que essas notícias geram: “Insistir na amamentação é irresponsabilidade”, “Muitas mães não tem leite e resistem à formula, é o que essa sociedade julgadora faz”, “Nós sabemos que amamentar é o melhor, mas ser irresponsável é outra coisa”, e muitos outros que culpabilizam a mãe e jogam o ativismo da amamentação no fogo, um movimento que é tão urgente e necessário.

Corrigindo a realidade deturpada: A culpa não foi dessa mãe que “insistiu na amamentação”. A culpa foi dos profissionais de saúde que não eram capacitados o suficiente para orientá-la corretamente. Ela falou que teve amparo de enfermeiras e médicos e que quando saiu do hospital eles reafirmavam que estava tudo bem com o seu bebê, embora ele se apresentasse irritado o tempo todo.

i


Existem inúmeras maneiras de ter certeza que seu bebê está bem alimentado e que você está produzindo leite no início da vidinha dele, são algumas:

 No mínimo 6-8 fraldas (de pano) ou 5 descartáveis bem cheias a cada 24 horas. A urina deve ser inodora e praticamente incolor. Urina com cor forte é um sinal de que o bebê precisa mais leite e é necessário procurar orientação médica.

 Um bebê recém-nascido normalmente terá 3 fraldas sujas por dia nas primeiras semanas. Depois disso a tendência é diminuir. Poucas fraldas sujas é um sinal de que o bebê precisa mais leite e é necessário procurar orientação médica.

 Ganho de peso e ganho de medidas em comprimento e em circunferência da cabecinha.

Cor de pele saudável. Se você “beliscar” suavemente a sua pele, ela deve voltar ao lugar rapidamente.

 Seu bebê está alerta, razoavelmente satisfeito. No entanto, é normal que os bebês tenham dias em que se alimentam com mais freqüência.

 Também é normal que os bebês acordem para mamar durante a noite. Alguns bebês dormem durante a noite toda desde cedo enquanto outros acordam durante a noite por mais tempo.

É por esse tipo de notícia que quando chego para dar uma aula de amamentação, 95% das grávidas tem medo de não produzir leite suficiente. Acontecem casos que a mãe não produz leite e é para isso que os substitutos existem. Mas para que não ocorram fatalidades assim é que lutamos para fazer a informação sobre cuidados de recém-nascidos chegar o mais longe possível.

Essa criança foi vítima de um sistema ineficaz, que não manteve profissionais capacitados para orientar a sua mãe. Triste.

Almocei aqui porque tem Opções Veganas!

Infelizmente não moramos um uma bolha, né amigos? Mesmo que se evite comer em lugares que não sirvam apenas comidas veganas, um dia ou outro você vai se encontrar precisando comer e não vai ter nenhum restaurante vegano por perto. E a felicidade quando a gente vai num restaurante comum que tem opções veganas além de batata frita? Não é maravilhoso?

Enfim, sempre houve um grande debate entre veganos e vegetarianos sobre sentar em um restaurante que servem opções vegs mas ainda servem pratos com produtos de origem animal. É visível que o número de restaurantes veganos na maioria das grandes cidades está crescendo, mas ainda estamos longe de ser suficiente. Bem longe. Por isso, se queremos jantar fora ou com amigos, vamos encontrar produtos animais na maioria dos menus por aí.

collage-vegan-cards.png

A The Human League tomou esse dilema ético e transformou em uma oportunidade de defender e de espalhar consciência da causa com esses cartões. Declarando “Eu comi aqui porque vocês servem opções veganas. Obrigado.”

É uma maneira simpática e eficiente de expressar gratidão e mandar a mensagem aos proprietários de que estão servindo um público que existe e precisa de opções. A matemática é simples: Quanto mais as pessoas reafirmam às empresas o que gostariam de consumir, mais desses produtos veremos disponíveis. Além de chamar atenção e divulgar a causa entre os onívoros.

Foi pensando nessa ideia (ou copiando? rs) que eu fiz uma versão em português!

Screen Shot 2017-01-15 at 3.07.36 PM.png

Eu fiz o projeto do tamanho de um cartão de visitas, assim dá pra manter alguns na sua carteira e deixar na mesa de um restaurante ou mandar junto com a conta quando tiver oportunidade. Infelizmente não tenho como imprimir ou mandar pra geral. Mas se você curtiu a idéia, eu preparei um PDF prontinho para imprimir A4.

Baixe o PDF aqui e quando for usar tire uma foto para mandar para nós ❤

Aprenda a fazer Lencinhos Umedecidos caseiros <3

 

Essa mãe maravilhosa de Melbourne ficou famosa depois de postar um mini tutorial de como fazer lencinhos umedecidos em casa.

Ela disse “Eu faço meus próprios lencinhos umedecidos – voce sabia que  os comercializados tem uma lista enorme de químicos neles (e usamos para limpar as bundinhas frágeis dos nossos bebes)

Eu acho que essa receita é a melhor maneira de fazê-los. Muitas pessoas me perguntavam para mostrar com eu faço e embora eu tenha me sentido estranha fazendo esse video e não queria fazer upload, eu achei que seria de ajuda para muita gente.

Demora menos que 5 minutos para fazer alem de ser barato que comprar.”

 

Olhem o video aqui:

Realmente parece muito fácil!!

E apesar de ser em ingles, da para ver como ela faz. Olhe a lista de ingredientes:

  • Um container basico de 125ml
  • Papel-toalha
  • Oleo de coco (estou pensando se da para substituir por azeite de oliva ou manteiga de cacau, ja que se sabe que oleo de coco nem sempre é acessível)
  • Um sabonete liquido natural
  • Agua fervente

 

Primero ela corta o rolo de papel-toalha no meio e o coloca dentro do container.

baby-wipe-tutorial-1-1000x600-20160329141341.png-q75,dx720y-u0r1g0,c--.jpg

 

Depois ela mistura o oleo de coco, agua fervente e sabonete liquido e ensopa esse liquido por cima do papel toalha.

baby-wipe-tutorial-3-1000x600-20160329141355.png-q75,dx720y-u0r1g0,c--.jpgbaby-wipe-tutorial-4-1000x600-20160329141402.png-q75,dx720y-u0r1g0,c--.jpgbaby-wipe-tutorial-5-1000x600-20160329141409.png-q75,dx720y-u0r1g0,c--.jpg

 

Entao ela tira o rolinho que fica no interior do rolo de papel toalha e ensina como puxar o primeiro lencinho, ele sai exatamente como nas embalagens que a gente compra

baby-wipe-tutorial-6-1000x600-20160329141416.png-q75,dx720y-u0r1g0,c--.jpg

 

No fim, ela coloca a tampa para preservar e pronto!

baby-wipe-tutorial-2-1000x600-20160329141348.png-q75,dx720y-u0r1g0,c--.jpg

 

Eu quero muito fazer!!! É realmente muito simples.

 

 

Porque forçar seu filho a abraçar outra pessoa pode ser uma má idéia

Esses dias eu pedi um abraço para minha filha e ela respondeu “nah”. Sem controlar muito meu instinto de mãe cheia de saudade abracei ela apenas para levar um empurrão e um NAH ainda mais firme. No início me apavorei: “o que minha filha está virando?” Eu cresci aprendendo a abraçar amigos da família ou parentes, não importa em que circunstancia.. De fato, negar-lhes um abraço seria falta de respeito e não existe nada pior do que desrespeitar alguém mais velho que você!
 
Depois fiquei refletindo…. Ela está certa! Bom, reconheço as razões pelas quais alguns pais incentivam os filhos a abraçar parentes e amigos da família. Abraços são bons, certo? Eles mostram confiança, boa vontade e conexões saudáveis para as pessoas! SIM – quando são dados consensualmente. E até mesmo as crianças tem autonomia corporal e, portanto, o direito de consentir (ou não).
 
Eu entendo você e sei que suas intenções são positivas. Mas vou listar 5 razões pelas quais forçar seu filho a abraçar outra pessoa pode ser uma má idéia:
IMG_0918.jpg
 
>>>> 1. Isso ensina ao seu filho que ele não têm controle sobre seu próprio corpo: Isso é mais relevante para as crianças do sexo feminino.
 
Em nosso mundo patriarcal de olhar masculino, das regras de corpo e agressão sexual, é extremamente importante ensinar as meninas que nunca é bom ser tocada por outra pessoa quando você não quer. A mensagem não precisa ser em um contexto sexual. O corpo de uma pessoa é dela. Ela pode fazer o que quiser com seu corpo. O que quiser. As pessoas não devem se preocupar, e ela não deve se preocupar com os outros.
 
Mas quando forçamos alguém de pouca idade a nos abraçar, estamos ensinando que não são donos dos seus corpos. Em vez disso, nós estamos dizendo que uma pessoa é propriedade física e política de todo mundo. E isso não é legal.
 
>>>> 2. Isso implica que você (ou adultos em geral) tem direito de tocar o seu filho como eles querem, quando querem: Você diz para seu filho abraçar alguém. Ele expressa alguma forma de rejeição. Fica envergonhado, culpado e se sente obrigado a abraçar. E abraça. Se sente péssimo por não querer abraçar e mesmo assim teve que abraçar. Pensa que no futuro não vai mais sentir resistencia ao abraço pois isso só piora as coisas.
 
Os adultos são as figuras de autoridade na vida de uma criança. Isso é natural, pois quem mais está lhe mostrando o caminho? Certifique-se que você está lhe fornecendo as ferramentas certas.
 
Ter posse legal sobre uma criança não significa que ela é sua propriedade. Significa que é de sua responsabilidade. Ao forçar uma criança a abraçar, você está dizendo “Estou no comando aqui, você tem que fazer tudo o que eu digo.” Lamento mas não.
 
Você está no comando, o seu trabalho é de se certificar de que a criança cresce e se torna o melhor adulto que ela é capaz de ser. 
 
>>>> 3. Isso desconsidera a zona do conforto do seu filho: Seu filho não é a sua versão mini. Ele é a sua própria pessoa, esteja em qual estágio de desenvolvimento emocional, mental ou físico que ele esteja. Abraço pode não significar o mesmo para ele que para você. Por favor, respeite isso.
 
>>>> 4. Isso pode comprometer o sentido natural e saudável de perigo deles: Sabe quando você tem aquele sexto sentido, aquela energia ruim que você simplesmente sente “Ufff, não quero essa pessoa perto de mim”. E aí você simplesmente evita essa pessoa. Isso pode ser um instinto de sobrevivência.
 
Quando crescemos, nossos sentidos desenvolvem uma forma que inconscientemente nos diz quando podemos estar em perigo. Uma criança ser forçada a abraçar um adulto contrariada aprende a não confiar sempre em seus instintos quando se trata da sua segurança, dos seus arredores, e das pessoas que não conhecem muito bem.
 
É o cérebro da criança dizendo, “Hum, estou desconfortável! Espero a confirmação de segurança antes de dar o abraço!” E os adultos dizem,”Que confirmação o que, abraça sua tia-avó-prima de uma vez!” Você pode saber que a tia-avó-prima é gente boa, mas seu filho precisa aprender por si. Ele precisa tomar essa decisão por conta própria.
 
>>>> 5. Isso pode ignorar algumas pistas e sinais importantes que seu filho está tentando te dizer: Uma criança não querer abraçar um adulto pode ser uma coisa inocente, a criança está conhecendo sobre o mundo através de tentativa e erro. No entanto, não querer abraçar pode significar que algo mais está acontecendo.
 
O parente ou amigo da família pode ter ferido a criança no passado intencionalmente (agressão) ou acidentalmente (pisou em sua mão ao cruzar o quarto). Ou feito algo para assustá-los, como contar uma história assustadora. Ou a criança de alguma forma fez uma conexão entre a pessoa e algo de que não gosta.
 
Há todos os tipos de cenários. E enquanto que a criança recusar abraço por motivo de agressão é certamente uma das possibilidades mais alarmantes, também existem outras pistas como os primeiros sinais de autismo ou síndrome de Asperger, que podem envolver aversão ao toque.
 
Quando uma criança rejeita um abraço de um adulto ou vários, sente com ela e delicadamente pergunte se há alguma razão por que não queria abraçá-los. Pode não ser nada, mas ser for é melhor que você descubra o quanto antes.
—–
Resumindo, será que a tia pode ficar triste se a Domi não quiser abraça-la? Claro que sim.
Mas seus sentimentos feridos não superam as lições arriscadas que a pequena Domi pode digerir se ela é forçada a tocar alguém que ela não quer.
As crianças são pessoas com o cérebro, as emoções e comportamentos em desenvolvimento. Eles não são bichos de pelúcia. Adultos são desenvolvidos, pessoas experientes que devem ser capazes de compreender de forma racional e aceitar a natureza de uma criança que não está interessado em um abraço.
Então, quando a criança entra em contato com tal situação, que eles saibam que não há problema se não quiser abraçar alguém.
Para qualquer um que teve seus sentimentos feridos por uma criança que rejeitou seu abraço, simplesmente aconselhe: “Não leva para o lado pessoal.”
{Baseado em um artigo do site http://everydayfeminism.com}