VEGANISMO 101: Baixe aqui!

Estou muito feliz que finalmente terminei de fazer um documento de 42 páginas que serve como ferramenta para uma iniciação ao veganismo e esclarece algumas dúvidas comuns sobre esse movimento do qual faço parte há cinco anos. Nele vocês poderão ler sobre motivações, razões, o que as pessoas dizem, como começar, um pouquinho sobre cada indústria que explora animais, um pouquinho sobre saúde e nutrição, ambientalismo, crianças veganas, balanceando nutrientes, sugestões, substituições, comidas veganas de diferentes culturas, dúvidas gerais, sugestões de livros e documentários e claro umas receitinhas simples para finalizar.

Screen Shot 2017-02-22 at 3.46.44 pm.png

 

Cadastre-se aqui para receber o PDF.

OBRIGADA, MINHA FILHA!

DSC_0186

Menina do meu Mundo, você não tem ideia como transformasse a minha vida. Escrevo na fé de que esse texto sobreviverá até que tu possas ler e tirei coragem de algum lugar que eu desconhecia para expor isso em público, na esperança de que chegue a outras mulheres que possivelmente estejam passando pelo mesmo.
Do fundo do meu coração, eu espero que quando estejas grande o suficiente para ler esse relato e entender a profundidade dele, o Mundo seja um lugar mais justo com as mulheres e com as minorias. Hoje ele não é, e não foi durante meu crescimento.
Gostaria de te começar contando sobre meus relacionamentos amorosos. Embora eu tinha um exemplo maravilhoso de mulher independente e mãe solo dentro de casa, eu aprendi desde cedo que deveria arrumar um homem para casar, e isso se tornou uma fixação para mim… Foi namoro atrás de namoro com homens que nada tinham a ver comigo…. Eu nunca consegui ser eu mesma nos meus relacionamentos, sempre me esforçando para agradar o parceiro, você acredita? Sempre tentando vestir a camisa de exatamente o que homens amam: a feminilidade.
Eu era capaz de me relacionar…. mas nunca amar, me entregar, ser eu mesma e achar um parceiro que realmente me amasse como eu era. Parecia que vivia me auto-sabotando. Porque será? Me perguntava muito isso superficialmente, mas lá dentro eu sabia.
A resposta era simples na teoria, mas muito, muito, muito difícil de aceitar: eu simplesmente não conseguia amar homens romanticamente. Eu sabia disso, mas em algum momento da minha trajetória eu coloquei essa verdade numa gaveta bem pequenininha e escondi lá no fundo de mim e nunca mais abri. E sempre que eu pensava nisso e a gaveta tentasse vir a tona… eu voltava a fechá-la e mandar prum lugar ainda mais longe.. e pensava exatamente assim: eu prefiro morrer do que abrir essa gaveta, eu prefiro morrer. E assim fui me relacionando com homens, me machucando e os machucando também.
Bem, sei que isso não é surpresa para você, afinal… você me conhece desde que nasceu. Mas eu quero te contar como foi dolorido viver numa sociedade machista e homofóbica, que eu cheguei a a abrir mão da minha essência, da minha felicidade.
Veja bem, isso não significa que não amei teu pai, muito pelo contrário. Ele é um homem fantástico, eu o amei e hoje o adoro muito. Mas um sentimento diferente… Hoje sinto um amor de amigo, de parceiro.
E quando você nasceu, filha…. eu senti o peso do exemplo. Como poderia eu te ensinar a ser uma mulher forte, decidida e autêntica se eu não estava sendo verdadeira comigo? Fui até onde eu consegui, eu realmente me esforcei… mas estava machucando outras pessoas além de mim com o fato de ter fechado o segredo dentro da minha gavetinha. Então, tudo isso somado a outras razões, veio o inevitável: me separei do teu pai.
Então um dia eu sentei sozinha, resolvi abrir a minha gavetinha e encarar a verdade que dentro dela estava, e eu busquei coragem na tua existência… eu falei: eu preciso encarar isso. Depois que você nasceu eu perdi medo de tudo e de todos. Perdi medo de ser rejeitada, a única pessoa que me importa é você. Eu posso perder todo mundo, posso ser rejeitada por todos… E a certeza de que você vai continuar do meu lado me empurrou para frente na jornada de me libertar.
Hoje eu olho para trás e penso poxa, porque eu perdi tanto tempo me machucando… mas hoje eu entendo que era o meu caminho para chegar até você: e talvez eu precisava de você pra conseguir me aceitar, me libertar. Por isso, OBRIGADA!
Filha, hoje no dia que eu te escrevo o Mundo é muito difícil para as mulheres e especialmente para aquelas que amam mulheres. Rejeitar homens romântica e sexualmente é quase visto como um ato audacioso numa sociedade patriarcal. Foi muito difícil me aceitar e me descobrir… pois desde cedo somos ensinadas a qualquer custo enquadrar nos padrões heteronormativos…. e isso dói demais, custa caro. Não somos numericamente bem representadas… Nem na sociedade, nem na cultura, nem na política, em lugar algum. Somos frequentemente silenciadas.
Mas eu resisto, meu amor. Por você e por todas que virão. Sei que muita gente vai embora depois de eu tornar isso público.. mas também sei que quem importa, fica. Hoje, sabendo que você está ao meu lado a qualquer custo, eu levanto minha voz para dizer que sou uma mulher homossexual muito orgulhosa e feliz.
Obrigada por isso. Eu te amo.
—————
Faz quase dois anos que me separei e que tenho vivido a minha vida colorida, que antes era preto e branco. Eu escrevi esse texto perto daquela época e até então nunca tinha sentido vontade de publicá-lo. Mas a situação política Australiana do momento e a resistência desse governo em legislar para o casamento entre pessoas do mesmo sexo me obrigou a representar minha comunidade.
Você mora na Austrália? Conhece alguém que mora na Austrália?
Alguma pessoa Australiana? Cidadã Australiana?
Temos até dia 24 de agosto para verificar nossa inscrição no Australian Electoral Commission e ter certeza de que nosso endereço está atualizado pois ao que tudo indica, votaremos pelo correio num futuro bem próximo.
Dá para verificar nesse site: http://www.aec.gov.au. Vote e vote SIM!

Amamentação prolongada tem algo a ver com cáries? Definitivamente não.

Há alguns dias compartilhei uma foto amamentando minha filha de 2 anos e meio falando sobre algumas situações chatas que tenho passado incluindo a de ouvir da sua dentista que ela deveria ser desmamada durante a noite por conta do aparecimento de cáries. Algumas leitoras questionaram e outras até comentaram que da mesma forma já ouviram o mesmo.

19554263_1954123524803241_3980345728847665333_n.jpg

Muita gente ainda culpa amamentação prolongada (especialmente noturna) pelo aparecimento de cáries. Segundo a Associação Australiana de Amamentação, a crença de que amamentação noturna causa cárie é baseada em apenas 3 artigos de Bram e Maloney, Gardner, Norwood e Eisenson e Kotlow que foram escritos no início dos anos 80. Os autores apresentaram relatos de casos de apenas 9 bebês, dois dos quais também eram alimentados com fórmulas. As conclusões destes artigos se basearam nesse pequeno número de casos e na pouca compreensão dos próprios cirurgiões-dentistas sobre amamentação.

Outras pesquisas (baseadas em evidências) contrariam totalmente a noção de que a amamentação qualquer coisa a ver com a cárie. Estas evidências incluem estudos populacionais que não demonstraram nenhuma relação entre amamentação e cárie em grandes grupos de crianças, por exemplo:

Na verdade, algumas pesquisas até sugerem que a amamentação pode proteger contra a cárie. Os anticorpos do leite materno ajudam a impedir o crescimento bacteriano (incluindo Streptococcus mutans, que é a bactéria que causa cárie). A lactoferrina, uma proteína no leite materno, na realidade mata a Streptococcus mutans. Rugg-Gunn e alguns colegas relataram que essa bactéria S. mutans pode não conseguir quebrar a lactose, o açúcar encontrado no leite materno, como a sacarose, que é encontrado em algumas fórmulas.

Além disso, analisando a fisiologia de uma criança mamando na imagem a seguir, podemos lembrar que uma boa pega é aquela que a criança tem um bom “pedaço” do seio dentro da boca, não apenas o mamilo. E isso faz com que quase nada do leite realmente entre em contato com os dentes, o leite é mandado direto na garganta da criança para estimulá-la a engolir.

maxresdefault.jpg

É claro que uma criança amamentada pode desenvolver cáries. Mas não há evidência suficiente provando que essas cáries foram provocadas pela amamentação.

 

Referências e outros links (todos em inglês):

http://www.llli.org/NB/NBSepOct02p164.html
http://kellymom.com/ages/older-infant/tooth-decay/
https://www.breastfeeding.asn.au/bfinfo/breastfeeding-and-tooth-decay
Brams M, Maloney J 1983, ‘Nursing bottle caries’ in breastfed children. J Peds 103(3): 415-416.
GardnerDE, Norwood JR, Eisenson JE 1977, At-will breast feeding and dental caries: four case reports. ASDC Journal of Dentistry for Children 44 (3):186–191.
Kotlow LA 1977, Breast feeding: A cause of dental caries in children. ASDC Journal of Dentistry for Children 44 (3): 192–193.
Arnold R, Cole M, McGhee J 1997, A bactericidal effect for human lactoferrin. Science 197:263–65.
Mandel ID 1996, Caries prevention: current strategies, new directions. JADA 127:1477–88.
Rugg-Gunn A, Roberts GJ, Wright WG 1985, Effect of human milk on plaque pH in situ and enamel dissolution in vitro compared with bovine milk, lactose, and sucrose. Caries Res 19:327–34.
Erickson PR, McClintock KL, Green N, et al 1998, Estimation of the caries-related risk associated with infant formulas. Pediatr Dent 20:395–403.
RibeiroNM, Ribeiro MA 2004, Breastfeeding and early childhood caries: a critical review. Jornal de Pediatria 80(5 Suppl):S199–S210.

Nosso carrinho de compras

Nosso carrinho de compras

Muita gente me pergunta o tempo todo sobre vitaminas, levedura nutricional, onde comprar e etc.. Recentemente eu fiz um pedido de compras no iHerb e eles me ofereceram um link de desconto para compartilhar com a geral, por isso vou deixar aqui as comprinhas que eu fiz.

Nesse carrinho que eu preparei aqui, vocês podem os seguintes produtos:

Levedura nutricional: esse é um vício meu e da minha filha, colocamos esse pozinho magico em cima de absolutamente todas as refeições (salgadas). Tem um gostinho de queijo e fica uma delícia, especialmente em cima de sopas. Ele é extremamente rico em vitaminas do complexo B, incluindo a B12.

Omega 3 (DHA) em gotas: Essa marca DEVA faz outra versão que além de DHA tem também EPA mas parece estar em falta no momento. Já usei essa algumas vezes mas ultimamente substituí isso por um fiozinho de óleo de linhaça nas comidas da Domi, mas resolvi dividir com vocês pois muitas amigas que são mães de criança veganas e vegetarianas dão esse suplemento pra crianças. A dosagem deve ser sempre verificada com um profissional, cada pessoa é diferente!

B12: Ainda tenho um restinho da nossa B12 aqui em casa mas como não pode faltar nenhum diazinho, já encomendei essa próxima. É importante que seja sempre Methylcobalamina e vegana, claro. A minha dosagem anda a 3mcg por dia no momento e da Domi 2mcg. Novamentea dosagem deve ser sempre verificada com um profissional, cada pessoa é diferente!

Claro que não estou grávida, mas essa é campeã de pedidos, por isso incluí no post. A maioria das gestantes toma algum tipo de complexo de vitaminas, mas muitos disponíveis no mercado não são veganos. Eu tomei essa da DEVA e para falar a verdade tomei até bastante tempo depois de ter a Domi por causa da lactação. Ela é feita especial para mães veganas, por isso tem composição diferente.

Eu poderia escrever mil produtos do iHerb que eu adoro, mas por hoje são esses. Depois eu divido algumas guloseimas deliciosas que sempre compro lá (pra mim, não pra ela rs).

AJUDA!

shutterstock_276803153-800x400.jpg

Você quer ajuda para diminuir o consumo de produtos animais ou para erradicar de vez? Ou quer se disponibilizar para ajudar alguém?

Preenche esse formulário aqui:

*** O FORMULÁRIO FOI RETIRADO PORQUE JÁ ESTAMOS NO PROCESSO DE COMEÇAR AS DUPLAS. VOLTE OUTRA HORA POIS VAMOS COLOCAR NOVAMENTE PARA UMA SEGUNDA FASE DA AJUDA***

Algumas regras:

– A ideia é formar pares. Vocês tem 1 semana para me enviar e eu vou juntar as pessoas. Assim que formar os pares eu vou enviar um email para ambos apresentando o seu match.

– Assim que receberem o email, a pessoa que for ajudar pode começar quebrando o gelo contando um pouco da sua jornada e dizer qual frequencia está disposta a conversar (pode ser todo dia, uma vez por semana, etc). Também devem combinar como será o contato… se por email, inbox do facebook mesmo, whatsapp, etc.

– Quero lembrar que ISSO NAO SUBSTITUI auxilio profissional, por favor. É mais para questoes de habitos, substituiçoes, duvidas simples, etc.

– QUEM OFERECE nao deve dar conselho sobre suplementaçao, ou qualquer coisa específica que seja necessário um profissional, por favor, use o bom senso.

– QUEM RECEBE a ajuda deve usar o bom senso também para mandar dúvidas e manter seu contato de acordo com a disponibilidade do seu “mentor”.

– Usem linguagem acolhedora, compreensiva e deixe espaço na cabeça aberta para compreender que nossas vivencias e experiencias sao diferentes. Isso serve para ambos.

– As vezes a pessoa só precisa conversar, falar das frustraçoes de tanta coisa chata que ouve sobre tentar ser vegetariana, quer auxilio de como responder algumas duvidas, etc.

OBA!

Eu também vou participar e vou ser match de alguém ❤

 

Como saber se eu estou produzindo leite suficiente?

Vi muito na semana que passou a notícia de uma mãe que diz “Se eu tivesse dado uma mamadeira pro meu filho, ele estaria vivo”, muitas notícias internacionais e agora vi reproduzida no Brasil também.

Primeiro, sinto demais pelo que essa mãe passou, não consigo pensar em nada pior do que perder um filho e ainda mais ter que conviver com essa culpa.

Mas é triste ver que uma certa indústria se aproveita desses acontecimentos para produzir notícias tendenciosas que visam manipulam as nossas opiniões. Se aproveita do sensacionalismo, da dor dessa mãe, da sensibilidade das pessoas e principalmente da insegurança das mães recém-paridas em nome dos seus próprios interesses, que desrespeito!

É só dar uma olhada no tipo dos comentários que essas notícias geram: “Insistir na amamentação é irresponsabilidade”, “Muitas mães não tem leite e resistem à formula, é o que essa sociedade julgadora faz”, “Nós sabemos que amamentar é o melhor, mas ser irresponsável é outra coisa”, e muitos outros que culpabilizam a mãe e jogam o ativismo da amamentação no fogo, um movimento que é tão urgente e necessário.

Corrigindo a realidade deturpada: A culpa não foi dessa mãe que “insistiu na amamentação”. A culpa foi dos profissionais de saúde que não eram capacitados o suficiente para orientá-la corretamente. Ela falou que teve amparo de enfermeiras e médicos e que quando saiu do hospital eles reafirmavam que estava tudo bem com o seu bebê, embora ele se apresentasse irritado o tempo todo.

i


Existem inúmeras maneiras de ter certeza que seu bebê está bem alimentado e que você está produzindo leite no início da vidinha dele, são algumas:

 No mínimo 6-8 fraldas (de pano) ou 5 descartáveis bem cheias a cada 24 horas. A urina deve ser inodora e praticamente incolor. Urina com cor forte é um sinal de que o bebê precisa mais leite e é necessário procurar orientação médica.

 Um bebê recém-nascido normalmente terá 3 fraldas sujas por dia nas primeiras semanas. Depois disso a tendência é diminuir. Poucas fraldas sujas é um sinal de que o bebê precisa mais leite e é necessário procurar orientação médica.

 Ganho de peso e ganho de medidas em comprimento e em circunferência da cabecinha.

Cor de pele saudável. Se você “beliscar” suavemente a sua pele, ela deve voltar ao lugar rapidamente.

 Seu bebê está alerta, razoavelmente satisfeito. No entanto, é normal que os bebês tenham dias em que se alimentam com mais freqüência.

 Também é normal que os bebês acordem para mamar durante a noite. Alguns bebês dormem durante a noite toda desde cedo enquanto outros acordam durante a noite por mais tempo.

É por esse tipo de notícia que quando chego para dar uma aula de amamentação, 95% das grávidas tem medo de não produzir leite suficiente. Acontecem casos que a mãe não produz leite e é para isso que os substitutos existem. Mas para que não ocorram fatalidades assim é que lutamos para fazer a informação sobre cuidados de recém-nascidos chegar o mais longe possível.

Essa criança foi vítima de um sistema ineficaz, que não manteve profissionais capacitados para orientar a sua mãe. Triste.