Pre natal, parto e atendimento infantil na Rede Publica de Saude Australiana.

Pre natal, parto e atendimento infantil na Rede Publica de Saude Australiana.

Tenho lido alguns textos que discorrem sobre como é ter um filho fora do Brasil e me inspirei para escrever sobre como tudo aconteceu comigo aqui.

aussie

Primeiro, vale frisar que a nossa familia utiliza exclusivamente a rede publica para atendimento medico ou seja, até hoje nao gastei absolutamente nada. Nao gastei nada com o pre natal (exceto o ultrasom 4D para ver a carinha dela, que é privado), nada com o parto, nada com o acompanhamento até hoje. Ah, lembrando que ela tem 4 meses e nunca viu um pediatra.

Quando eu descobri que estava gravida, corri para um clinico geral para entender como tudo funciona por aqui pois eu simplesmente nao sabia por onde começar. De acordo com a localizacao da minha residencia, fui orientada que teria naquele tal hospital (RPAH), que era o mais proximo da minha casa. O medico conversou comigo sobre tres possibilidades de atendimento: privado com medico obstetra, um mix de medico clinico geral e parteiras ou somente com as parteiras no hospital. Optei pelo ultimo.

Ate 28 semanas de gestacao, visitei as parteiras mensalmente. Frequentei aulinhas sobre tudo: sobre o parto, maternidade, amamentacao e mudanças fisicas no meu corpo. Ao todo foi um curso de 9 aulas. Fiz ultrasom morfologico, um “dating” para confirmar a idade do feto e um para checar a possibilidade de ter sindrome de down. Fiz teste de diabetes, teste sanguineo (duas vezes) e em uma das consultas eu acabei tendo que ver um medico para me explicar sobre a vacina Anti-D que eu teria que tomar (pois sou rhesus negativo e o Claudio é positivo). Por esse motivo, participei de um grupo de pesquisa da Universidade de Queensland sobre esse assunto do Rhesus. Eles testaram o sangue do proprio feto (atraves do meu) e detectaram que ela era rhesus positivo, entao tive que tomar a vacina. Caso fosse negativo, eu nao precisaria. Tambem dentro do hospital temos a opcao de parir no “Labour Ward” (um quarto normal de hospital. Tem cama, banquinho, banheiro com banheira e ate bola de pilates). Essa opcao de quarto é mais “clinico”, mais de hospital. Aqui tem monitores, gas, e analgesia mais rapida se for pedido. A segunda opçao é o “Birthing Centre”, como se fosse uma casa de parto. É tudo maior, parece um quarto de casa mesmo e nao existe analgesia nenhuma disponivel. Escolhi o ward por insegurança em relaçao a analgesia rsrs, mas no fim passei a metade do meu parto no Birthing Centre (por falta de lugar no Ward). Cesarianas na rede publica acontecem apenas em caso de emergencia, portanto sao efetuadas na UTI neonatal do hospital.

A partir de 28 semanas eu passei a ir ao hospital ver as parteiras quinzenalmente e discutiamos sobre tudo, elas mediam minha barriga para ver se estava crescendo, mediam o batimento da Domi e tambem checavam como andavam as coisas. Elas sempre frisavam muito a importancia dos exercicios para fortalecimento da pelvis. Sempre com parteiras variadas, mas em uma dessas consultas fui atendida por uma estudante da Universidade de Sydney. Ela perguntou se eu gostaria de ser acompanhada por ela. Se voce estiver na rede publica, nao pode escolher a parteira que queres que te acompanhe, porem se ela for estudante pode. Eu gostei muito dela e topei, por isso a partir desse dia passei a ser vista apenas por ela. Alem de me acompanhar em todas as visitas ela tambem me deu o seu telefone pessoal e se disse disponivel 100% do tempo se eu precisasse contactar para alguma duvida (vou fazer uma pausa no texto agora para mandar uma fotinho da Domi para ela!)

brit
Minha parteira Brittany manuseando a nossa árvore da vida, depois do parto.

A partir de 37 semanas passei a ir ao hospital semanalmente, para um rapido check up. So que na 39a eu fui pra la ja em TP rsrs…. Nao vou escrever meu relato de parto pois ja o fiz. Se interessar, acesse aqui.

ok
Primeiro contato (que sujinha linda)
i
Primeira mamada

Bom, assim que ela nasceu elas nos deixaram sozinhos na sala para curtir a bebe e a parteira me falou varias vezes da importancia de grudar ela no meu peito (skin to skin) e deixar um tempao em contato com a pele, assim ajuda com o apego. Logo ja coloquei ela para mamar tambem. Um tempinho depois dei ela pro Claudio, fui tomar meu banho e subimos para o quarto (fiquei 2 noites no hospital por causa dos meus pontos, tive laceraçao). Na subida pro quarto paramos na salinha para pesar e medir a Domi, foi a primeira vez que eu tirei ela do meu colo (fora o banho) – acho que umas 2 horas depois de nascer. O quarto era dividido com outra mãe, mas isso nao me incomodou nem um pouco. Passamos nos duas a noite em claro porque quando nao era a Domi gritando, era a Sophia. A unica coisa que me incomodou é o fato de que o Claudio nao podia passar a noite comigo ali, so poderia entrar apos as 7 da manha e tinha que sair ate as 10 da noite – mas as parteiras sempre vinham checar a gente o tempo todo. Me serviram comida vegana, pois pedi e fiquei bem feliz com isso. Me surpreendi, era sempre uma delicia.

comida veg
Antes de sair do hospital eles checaram a Domi, fizeram o  teste do pezinho, checaram a audiçao e a visao, e mais uns testes e me deram um livro que chama “Blue Book” com todo o historico de nascimento e para registrar o desenvolvimento dela. Em casa tive visita das parteiras 3 vezes nas primeiras 2 semanas, sempre checando como estamos, medindo e pesando ela, me orientando com a amamentacao e tambem verificando como estava a minha cicatrizaçao.

Depois das visitas, passei a frequentar as clinicas infantis. La tem varias parteiras e enfermeiras obstetras que acompanham a criança. Tem os check ups agendados (o primeiro, depois o de 6 semanas e o proximo é com 6 meses) e tambem posso ir na clinica nos horarios sem agendamento (sao 2 vezes por semana que tem um periodo assim), para tirar duvidas em geral. Nas visitas elas nos orientam sobre cada fase, sobre o desenvolvimento, introducao a alimentacao e tambem dao contatos de grupos de mae locais, grupos de amamentacao, grupos de atividade, etc. e la tem uma balança que podemos utilizar a qualquer momento.  Minha mae (que provaelmente conhece o atendimento de saude brasileiro – privado – melhor que eu) ficou boquiaberta com o carinho e disponibilidade das enfermeiras que nos atendiam. Extremamente atenciosas.

Aqui percebo que elas nos orientam e motivam muito a amamentar. A amamentaçao exclusiva e em livre demanda foi fortemente indicada por todos os profissionais que passaram por mim. Muito contato pele com pele tambem me foi indicado. Cada vez que eu perguntava sobre comprar alguma coisa meio superflua, elas me falavam “Pra que? Nao precisa.” Ou seja, aqui o consumismo alem de tudo é desmotivado! Tambem em relacao a remedios – quando a Domi estava na fase das colicas eu fui la pedir ajuda e disse que queria recomendacao de algum remedinho. Ela falou: “Olha, tem esse mas nao adianta muito nao. Esse chorinho de colica se resolve com amor e atencao.” Em relacao à amamentacao, existe um telefone que se pode ligar para tirar duvidas (7 dias por semana) e eles sao muito atenciosos. Tambem uma coisa que me chamou atencao, é que essas enfermeiras que me orientavam nas clinicas infantis sempre me motivaram a seguir meus instintos. Cada vez que eu apresentava uma duvida, me eram colocadas varias opcoes e sempre tinha a liberdade de escolher o que eu achava melhor. E elas sempre levavam muito a serio o meu feeling e o que eu sugeria que a Domi tinha. A Domi NUNCA viu um pediatra – uma vez a levei em um clinico geral pois achei que estava com alergia, quando na verdade era apenas hormonios do nascimento (eu poderia ter tirado essa duvida com as enfermeiras da clinica).

Tudo publico, gente… tudo. Estou muito feliz e satisteita com o sistema aqui! Gostaria muito de ter tido parto domiciliar, porem quando procurei sobre, vi que precisaria contratar uma equipe privada e iria fazer uma grande diferenca no nosso orçamento. Hoje mudei de estado (estou morando no distrito federal) e vi que existe uma proposta para incluir PD no sistema de saude aqui. Tomara (Ja pensando no proximo, rs. Mentira.) !! ❤

58294 utilidades do Oleo de côco <3

coco

Ja faz tempo que substitui na minha cozinha todo tipo de oleo pelo oleo de coco. Ele é rico em gordura saturada por isso é altamente resistente ao ranço oxidativo (e possui propriedades antioxidantes). Alem disso, no meu banheiro tambem o oleo de coco é solucao para muita coisa! A Domi tem experimentado os beneficios desse oleo tambem (como cosmetico claro, nao comida). Nesse post vou tentar relacionar algumas utilidades. (Bom, primeiro queria deixar claro, converse com o seu pediatra/medico para garantir o “aval” do uso, ok? E tambem teste na pele de quem quer que seja, pois algumas pessoas sao alergicas)

Na cozinha:

– Para fritar: nao gosto de sugerir fritura porem, para fritar ele é a melhor opçao. Por ser gordura saturada, é mais resistente a aquecimento, tendo menor oxidação quando aquecido.
– Em receitas: Uso ele onde em qualquer receita onde diz óleo ou manteiga. Aqui em casa nos acostumamos com o gosto e amamos.
– No chocolate: ja ensinei como fazer, ne?
– No cheesecake e na maioria das receitas crudivoras.
– Para assar: untar as formas e travessas
– EM TUDO!!!

Como cosmetico:

Remover maquiagem: Umedeça um pouco de óleo de coco em um algodão e limpe sem esforço. Ele funciona até mesmo para tirar rimel à prova d’água e batom vermelho. Lave o rosto com água morna depois de usar o óleo.
– Hidratar o cabelo: Use óleo de coco como um banho de creme antes de lavar o cabelo e note a diferença. Fica mais suave e brilhante. Aplique uma colher de sopa de óleo e massageie bem o cabelo e o couro cabeludo. Deixar pelo menos 10 minutos (mais se você puder) antes de lavar como normal.
– Hidratar a pele: Use o óleo de coco como uma máscara para o rosto e corpo também. Aplique uma pequena quantidade e massageie na pele, com foco em áreas que mais precisam, como joelhos e cotovelos. Deixe pelo menos 10 minutos antes de lavar.
– Esfoliar a pele: Junte uma colher de sopa de óleo de coco com uma colher de sopa de açúcar (o mais grosso) e esfregue em sua pele. Ele esfolia e hidrata ao mesmo tempo, deixando a sensação de pele lisa e deliciosa.
– Escovar os dentes: Junte o óleo de coco com bicarbonato de sódio para fazer uma pasta grossa. Escove os dentes (essa receita é de pasta de dente caseira) 🙂
– Desodorante: Esfregue o óleo de coco em suas axilas ou pés como um desodorante natural. Você também pode misturá-lo com manteiga de karité e óleos essenciais para poder acrescentar um cheirinho gostoso extra.
– Fazer as unhas: Esfregue o óleo de coco nas cutículas para amacia-las e depois remove-las.
– Suavizar queimaduras: Depois que a dor inicial da queimadura solar diminuiu, um pouco de óleo de coco vai ajudar a pele a cicatrizar mais rápido e ajudar a prevenir que descasque.

Para as crianças:

– Assaduras: O óleo de coco alivia suavemente assaduras. Coloque na assadura e feche a fralda como de costume. Use a cada troca de fralda como um preventivo, mas lembre-se de fazer um teste primeiro em pequena escala para checar se é adequado para o seu bebê.
– Suavizar a crosta lactea:
Depois de fazer um teste para garantir que o bebê tolera óleo de coco (a maioria), massageie uma quantidade generosa de óleo de coco na cabeça, deixe por alguns minutos e remova.
– Oleo de bebês: Sempre jogo um pouquinho do oleo na banheira (umas 3 vezes por semana) para hidratar a pele da Domi. Ela é alergica a qualquer outro tipo de oleo, esses oleos de bebes por ai ja testei muitos e ela fica toda pipocadinha.
– Piolhos: Eu juro que funciona.
Precisa de óleo de coco e vinagre de maçã. Molhe o cabelo no vinagre de maçã, não lave e deixe secar (ele aparentemente, dissolve a “cola” que une as lêndeas no cabelo). Depois de seco, aplique uma porção boa de óleo de coco e massagem por toda a cabeça e couro cabeludo. Deixe por tanto tempo quanto você puder (quanto mais melhor, durante a noite é o ideal). Penteie bem com um pente fino, e em seguida, passe shampoo e condicionador no cabelo. Você vai precisar de shampoo duas vezes para se livrar do óleo, mas o cabelo do seu filho vai ser bem macio e brilhante, graças ao tratamento de cabelo.
– Rinite alergica:
Coloque uma pequena quantidade de óleo de coco nas bordas das narinas do seu filho para ajudar a aliviar os sintomas de rinite alergica (febre do feno). Aparentemente, a poeira e pólen gruda no óleo e não entra no nariz.
– Analgesico para a gengiva:
Esfregue suavemente um pouco de óleo de coco diretamente sobre as gengivas do seu bebê como um alívio da dentição.

O que acharam?
Utilidades suficiente para comprar um balde de 5 litros ne?! rsrs Eu falei!!

Sei que oleo de côco é carissimo. Mas sei que da pra fazer facilmente a manteiga de coco, que substitui igualmente. Voce precisa de 4 coisas:
– côco ralado (sem açucar)
– pouquinho de sal
– um processador bom (ou liquidificador)
– paciencia

coconut
Como fazer: Coloque os flocos de côco no processador ou liquidificador e adicione um pouquinho de sal. Se tiver usando um liquidificador, tera que parar as vezes para colocar os flocos de côco pro fundo novamente (eles se bagunçam e ficam subindo pelo copo no liquidificador). Se usar um processador, esse processo vai demorar um pouquinho mais. Continueeeee batendo… rsrs, quando voce começar a pensar que nao tem jeito desse negocio virar manteiga, vem a magica. Juro.

Palpites x Dicas Válidas

mum
Tornar-se mae é como entrar num Mundo paralelo, ou entrar num “clubinho”. Voce passa a ter assunto com todo Mundo, ou pelo menos a maioria das estranhas.…. E por maternidade ser um Mundo comum entre muitas mulheres de diferentes vidas e historias, existem inúmeras maneiras de criar e educar um filho – tudo vai de acordo com os teus valores e hábitos. Amamentaçao, leite artificial. Parto normal, cesariana. Bico, mamadeira, ou nada disso. Deixa chorar ate dormir ou colo em qualquer choro. Amamentacao em LD, ou de 4 em 4 horas. Dormir junto, dormir no berço. Papinha, BLW. Voltar a trabalhar logo, ou ficar em casa por mais tempo. Fralda de pano, fralda descartavel. Brinquinho ou nao. Vacina ou nao. Faz isso, faz aquilo. etc etc etc. Ate ai tudo OK, ficamos loucas com tantas decisões, mas chegamos às nossas proprias conclusões. O problema é quando os outros nao entendem que como você cria o SEU FILHO é problema SEU, e acabam virando os tao chatinhos “palpiteiros” da maternidade. Todo mundo sabe bem e ja sentiu na pele a amargura dos palpiteiros, que muitas vezes nao fazem por mal (e muito comumente sao proprias maes que na sua vez odiavam os “palpiteiros” e acabaram virando igual)

Puerperio nao é facil. Maternidade nao é facil. Decidir como fazer as coisas tambem nao é facil, muitas vezes ja é dificil chegar a uma conclusão entre voce e o pai, entao o que menos precisamos é de palpites que julgam, precisamos de acolhimento e amor. Eu me sinto muito bem resolvida para nao ligar tanto, mas alguns comentários doeram, gente. Dependendo da nossa vulnerabilidade no momento e da importancia da pessoa que está falando.  Me vi ontem junto com meu marido em uma situação meio triste em que ouvimos criticas de palpiteiros e conversamos sobre como existem formas certas de falar as coisas, com mais tato e menos juízo. Mas tambem por outro lado, receber dicas baseadas na própria experiência (pessoal ou profissional) as vezes é muito valido vindo de amigas mães. Nesse post eu quis tentar diferenciar essas duas situações.

Entao vamos la, tentaremos….. como NAO palpitar nas açoes de novos pais e maes (muitos exemplos sao da nossa propria experiencia):

– NOSSA, o seu filho faz assim (insira algo negativo aqui) ??? O meu fazia assim … (insira algo positivo) … Por favor, gente… comparação NAO. Nem com o filho do vizinho, nem com o seu. Favor respeitar que todos os bebes sao diferentes e cada um tem o seu tempo de aprender as coisas.

– JULIA, você é louca! Nao faça ( …. ) Sem comentários. Aula de tato para esse/a aí.

NOSSA, nao deixe passar de 40 semanas hein??? Nao cabe a voce decidir como ou quando O MEU BEBE vai nascer.

– VOCE PRECISA ENSINA-LA a pegar a mamadeira para que possas fazer tuas coisas logo. Essa menina vai sugar a tua energia!!! Ok, Senhor/a entendedor. Pera que eu vou buscar um lapis e papel para anotar o que mais voce sabe sobre como criar a minha filha.

– OLHA, isso ta errado!!! O MEU MEDICO FALOU que (……) ….Mas o meu falou diferente. E é ele que eu vou seguir. E se eu achar informação melhor que a do meu medico, a seguirei.

– Nossa… voce é (insira radical / louca / irresponsável ….) …Uma mae nao precisa de julgamentos, como ja falei. Precisa ser acolhida. Se voce me acha alguma coisa desses, você tem todo o direito mas mantenha para voce mesmo.

– Nosssaaaaa, nao acredito que acabou em cesarea. Você sabe que o motivo nao era real indicação, ne?? Nao cabe a voce decidir como deveria ter sido o parto, VOCE NAO ESTAVA LA. Se a mae foi enganada ou nao, se no fim nao aguentou e pediu por cesarea, problema é so dela! Muitas vezes essa decisão é dificílima e ninguém precisa de pitaco nisso, apenas piora a situação. Informar uma futura mae de mitos para evitar, OK. Mas comentar de forma negativa algo que aconteceu no passado que nao pode ser mudado, NAO. Nessas horas um “Querida, nem tudo da sempre certo como a gente gostaria!” vai bem melhor.

– Que nome estranho/feio …  Opaaa.. juro que da proxima vez te chamo para decidirmos eu, voce e o meu marido o nome do bebê, ok? Sem comentarios tambem! Ouvi de alguem que gosto muito e choquei com tanta insensibilidade.

– VOCE TEM QUE DAR A CHUPETA, precisa forca-la a pegar. Senao ela vai se apegar em outra coisa. Dedo por exemplo!!!! …..VOCE TEM QUE cuidar da sua vida, precisa esforçar-se agora rsrs

– DORMIR JUNTO? Affe, Julia. Ela PRECISA dormir no seu próprio berço. Olha, alem de que decidimos compartilhar cama, moramos em um apartamento de um quarto e no nosso quarto nem caberia um berço. Essa é a nossa situação atual, que chato eu ter que abrir isso com voce, né? Poderias ter dormido sem essa.

– TADINHA ficar sem brinco!!!! Qual a menina que nao quer??? Ok, Senhor/a entendedor. Pera que eu vou buscar um lapis e papel para anotar o que mais voce sabe sobre a minha filha.

– ELA É MUITO NOVINHA para ser colocada nessa posição!!!!! Ok, Senhor/a entendedor. Pera que eu vou buscar um lápis e papel para anotar o que mais você sabe sobre a minha filha.

OU QUALQUER PALPITE que nao tenha sido pedido! Principalmente se começar com “NOSSAAAA, nao faça isso” ….Gente, imperativo ou expressao de surpresa NUNCA, por favor!

Muitos dos palpites que eu recebi levaram um corte por causa do respaldo profissional que eu tinha naquela situação (indicação de profissionais, leitura de organizações serias, etc). Fica chato, gente.

Mas e como seriam boas maneiras de dar dicas?

Primeiramente, claro quando a mae pede. As vezes sim buscamos opinioes entre amigas e esperamos uma resposta mais ou menos: “Eu fiz assim, por esse motivo e esse e esse. Li esse artigo falando disso, etc. etc.” assim como “Olha eu fiz dessa forma, porem me arrependi por esse motivo e esse e esse.” Citando exemplos, fontes validas e livres de juízo.

Outra situação seria quando voce ve alguma mãe (de preferencia amiga, que você tenha liberdade e preocupação GENUÍNA) fazendo algo que, por experiência própria negativa, você sabe que pode realmente prejudicar o bebe. Exemplo: carregando um sling de uma forma que possa vir a prejudicar a anatomia do bebe. Falo isso pois recebi dica de uma amiga sobre isso, respaldada com experiência própria e fiquei muito feliz principalmente pela forma que me foi abordado. SEMPRE fale de uma forma humana, com tato, gentil.

Quando você sabe que alguma futura mae vai optar por alguma pratica que voce tenha tido experiência negativa ou positiva e tenha dados validos para compartilhar. Exemplo, amamentação…. Você sabe que aquelas amiga quer amamentar e sabe que é trabalhoso. Voce tem experiência pratica (positiva e negativa) e muitas dicas para que de tudo certo, pode compartilhar!

Pessoalmente, depois de muito estudo e conversa com o Claudio temos bem claro na nossa cabeça como sera a criação da Domi e eu falo abertamente, publico materiais e dou minha opinião bem clara sobre tudo aqui no blog. Tudo que eu acredito que realmente seja o melhor para ela. Mas AQUI na minha pagina, para quem quiser ler! Todas tem direito de discordar e tudo esta aberto para o debate 🙂

O mais importante de tudo é lembrar a posição de vulnerabilidade em que se encontram as futuras maes (cheia de ansiedade) e as recém tornadas maes. Elas precisam de apoio e muito amor. Se voce é intima, tem abertura com a nova mamae, pode compartilhar a dica que quiser, pode orienta-la como quiser – desde que seja de uma forma gentil e que saiba que acima de tudo, a ultima decisão é sempre dela.

Abaixo a competitividade entre nos, maes. Brindemos a SORORIDADE!

FAQ

OK

Como lidar com a alimentação do bebê e da criança quando eles entram na grade escolar? Quer dizer… Quando tem uma festinha de aniversário dos colegas, por exemplo, como fazer para evitar que seu filho ingira brigadeiros, bolo e tal?”

Essa fase ainda é desconhecida pra mim, entao tive que pedir ajuda de maes veganas mais experientes. A conclusao que cheguei é que enquanto a criança nao tenha noçao de saber diferenciar a “comida feliz” da “comida triste”, temos que ser firmes com os profissionais envolvidos.

Acho valido escrever uma carta aos professores e educadores e conversar com eles sobre os habitos da familia (acredito ser comum isso, especialmente num pais com tantas culturas diferentes e habitos alimentares diversos incluindo com relaçao às alergias) e pedir para que nunca dê comidas nao veganas. Tambem pedir para ser informada de algum dia de comidas gostosas ou festinhas que acontecerao na escolinha, assim voce pode mandar bolinhos, docinhos e etc na versao vegana para que seu filho possa aproveitar tambem (provavelmente fazem isso as maes de criancas com alergias severas a leite).

Quando seu filho tiver idade suficiente para entender, ele vai saber que nao come aquelas coisas. Confio piamente na educaçao (e tive confirmaçao de maes veganas mais experientes) e que o filho nao vai se sentir privado de nao comer tal coisa, ele vai entender suas motivacoes e vai espontaneamente rejeitar tais comidas.

Bolo de Chocolate com NOTella (vegano & crudivoro)

Lembrei que ainda nao compartilhei todas as receitas do meu cha de bebe, vou fazer isso essa semana! 😉

Mas primeiro vou compartilhar um bolo de chocolate maravilhoso que criei sob encomenda quando ainda estava a mil vendendo sobremesas crudivoras em Sydney. Como se nao bastasse, a cobertura eh uma versao crudivora de nutella, que gosto de chamar de NOTella, rs… pra comer de colher!!!

A partir dessa semana vou fazer um mes de dieta crudivora para melhorar meus niveis de energia, vou dividir o maximo com voces. Claro que vou me esbaldar com essas sobremesas tambem, e isso eh o melhor da dieta crudivora!! heheh  …anota ai, faz e depois me conta.

1653491_467665423357021_977899813_n

Bolo de Chocolate Vegano & Crudivoro (coberto com NOTella)

Ingredientes:
300g nozes
150g tamaras
150g figo seco
150g de amendoas
8 colheres de sopa de cacau em po
4 colheres de sopa de agave
1 colher de sopa de extrato de baunilha
60g oleo de côco

Primeiro para fazer a base: Coloque as amendoas no processador e bata ate ficar bem fino. Depois adicione o oleo de côco, 3 colheres de sopa do cacau em po, e 1 colher de sopa de agave. Processe novamente tudo junto. Pegue essa “massa” e pressione no fundo da forma como base do bolo. Deve ficar uma espessura de meio centimetro (se usares uma forma de 20cm de diametro, como eu geralmente uso).

Para fazer o bolo: Coloque as nozes no processador, e processe ate ficar bem fininha. Coloque o resto dos ingredientes e bata ate que os ingredientes se juntem e voce esteja feliz com o aspecto. Da mesma forma, pressione esse conteudo em cima da base na forma. Coloque na geladeira por uma meia hora enquanto voce faz a cobertura de NOTella.

img_3001
A NOTella merecia um post todo so pra ela, hahaha…. afinal, nao eh so pra cobertura do bolo que ela serve. Aprenda a fazer agora para usar por cima do bolo, mas anote PARA A VIDA! Tudo que eu preparo crudivoro eu recomendo consumir em ate 3 dias na geladeira (se congelar, dura mais)…. Mas eu duvido que um potinho de NOTella dure isso. Prepare a colher pra comer direto da embalagem 😛

Ingredientes:
1 copo e meio de avelas (pode ser torrada ou crua, a versao torrada o sabor mais forte)
7 colheres de cha de po de cacau
1 copo de tamaras
2/3 copo de agua (ou leite de amendoas)
3 colheres de oleo de côco
1 colher de cha de extrato de baunilha (opcional)

Como fazer: processe as avelas primeiro ate ficar bem fininho. Depois adicione o resto dos ingredientes e deixe a agua (ou leite vegetal) por ultimo, e va adicionando devagarinho ate conseguir a consistencia desejada. Quando tiver pronto, use para finalizar o bolo de chocolate.

1391475_411996675590563_1610060422_n

Coloque o Bolo na geladeira por mais meia hora e ta pronto. Ele fica bem denso e delicioso!!! ❤