Porque forçar seu filho a abraçar outra pessoa pode ser uma má idéia

Esses dias eu pedi um abraço para minha filha e ela respondeu “nah”. Sem controlar muito meu instinto de mãe cheia de saudade abracei ela apenas para levar um empurrão e um NAH ainda mais firme. No início me apavorei: “o que minha filha está virando?” Eu cresci aprendendo a abraçar amigos da família ou parentes, não importa em que circunstancia.. De fato, negar-lhes um abraço seria falta de respeito e não existe nada pior do que desrespeitar alguém mais velho que você!
 
Depois fiquei refletindo…. Ela está certa! Bom, reconheço as razões pelas quais alguns pais incentivam os filhos a abraçar parentes e amigos da família. Abraços são bons, certo? Eles mostram confiança, boa vontade e conexões saudáveis para as pessoas! SIM – quando são dados consensualmente. E até mesmo as crianças tem autonomia corporal e, portanto, o direito de consentir (ou não).
 
Eu entendo você e sei que suas intenções são positivas. Mas vou listar 5 razões pelas quais forçar seu filho a abraçar outra pessoa pode ser uma má idéia:
IMG_0918.jpg
 
>>>> 1. Isso ensina ao seu filho que ele não têm controle sobre seu próprio corpo: Isso é mais relevante para as crianças do sexo feminino.
 
Em nosso mundo patriarcal de olhar masculino, das regras de corpo e agressão sexual, é extremamente importante ensinar as meninas que nunca é bom ser tocada por outra pessoa quando você não quer. A mensagem não precisa ser em um contexto sexual. O corpo de uma pessoa é dela. Ela pode fazer o que quiser com seu corpo. O que quiser. As pessoas não devem se preocupar, e ela não deve se preocupar com os outros.
 
Mas quando forçamos alguém de pouca idade a nos abraçar, estamos ensinando que não são donos dos seus corpos. Em vez disso, nós estamos dizendo que uma pessoa é propriedade física e política de todo mundo. E isso não é legal.
 
>>>> 2. Isso implica que você (ou adultos em geral) tem direito de tocar o seu filho como eles querem, quando querem: Você diz para seu filho abraçar alguém. Ele expressa alguma forma de rejeição. Fica envergonhado, culpado e se sente obrigado a abraçar. E abraça. Se sente péssimo por não querer abraçar e mesmo assim teve que abraçar. Pensa que no futuro não vai mais sentir resistencia ao abraço pois isso só piora as coisas.
 
Os adultos são as figuras de autoridade na vida de uma criança. Isso é natural, pois quem mais está lhe mostrando o caminho? Certifique-se que você está lhe fornecendo as ferramentas certas.
 
Ter posse legal sobre uma criança não significa que ela é sua propriedade. Significa que é de sua responsabilidade. Ao forçar uma criança a abraçar, você está dizendo “Estou no comando aqui, você tem que fazer tudo o que eu digo.” Lamento mas não.
 
Você está no comando, o seu trabalho é de se certificar de que a criança cresce e se torna o melhor adulto que ela é capaz de ser. 
 
>>>> 3. Isso desconsidera a zona do conforto do seu filho: Seu filho não é a sua versão mini. Ele é a sua própria pessoa, esteja em qual estágio de desenvolvimento emocional, mental ou físico que ele esteja. Abraço pode não significar o mesmo para ele que para você. Por favor, respeite isso.
 
>>>> 4. Isso pode comprometer o sentido natural e saudável de perigo deles: Sabe quando você tem aquele sexto sentido, aquela energia ruim que você simplesmente sente “Ufff, não quero essa pessoa perto de mim”. E aí você simplesmente evita essa pessoa. Isso pode ser um instinto de sobrevivência.
 
Quando crescemos, nossos sentidos desenvolvem uma forma que inconscientemente nos diz quando podemos estar em perigo. Uma criança ser forçada a abraçar um adulto contrariada aprende a não confiar sempre em seus instintos quando se trata da sua segurança, dos seus arredores, e das pessoas que não conhecem muito bem.
 
É o cérebro da criança dizendo, “Hum, estou desconfortável! Espero a confirmação de segurança antes de dar o abraço!” E os adultos dizem,”Que confirmação o que, abraça sua tia-avó-prima de uma vez!” Você pode saber que a tia-avó-prima é gente boa, mas seu filho precisa aprender por si. Ele precisa tomar essa decisão por conta própria.
 
>>>> 5. Isso pode ignorar algumas pistas e sinais importantes que seu filho está tentando te dizer: Uma criança não querer abraçar um adulto pode ser uma coisa inocente, a criança está conhecendo sobre o mundo através de tentativa e erro. No entanto, não querer abraçar pode significar que algo mais está acontecendo.
 
O parente ou amigo da família pode ter ferido a criança no passado intencionalmente (agressão) ou acidentalmente (pisou em sua mão ao cruzar o quarto). Ou feito algo para assustá-los, como contar uma história assustadora. Ou a criança de alguma forma fez uma conexão entre a pessoa e algo de que não gosta.
 
Há todos os tipos de cenários. E enquanto que a criança recusar abraço por motivo de agressão é certamente uma das possibilidades mais alarmantes, também existem outras pistas como os primeiros sinais de autismo ou síndrome de Asperger, que podem envolver aversão ao toque.
 
Quando uma criança rejeita um abraço de um adulto ou vários, sente com ela e delicadamente pergunte se há alguma razão por que não queria abraçá-los. Pode não ser nada, mas ser for é melhor que você descubra o quanto antes.
—–
Resumindo, será que a tia pode ficar triste se a Domi não quiser abraça-la? Claro que sim.
Mas seus sentimentos feridos não superam as lições arriscadas que a pequena Domi pode digerir se ela é forçada a tocar alguém que ela não quer.
As crianças são pessoas com o cérebro, as emoções e comportamentos em desenvolvimento. Eles não são bichos de pelúcia. Adultos são desenvolvidos, pessoas experientes que devem ser capazes de compreender de forma racional e aceitar a natureza de uma criança que não está interessado em um abraço.
Então, quando a criança entra em contato com tal situação, que eles saibam que não há problema se não quiser abraçar alguém.
Para qualquer um que teve seus sentimentos feridos por uma criança que rejeitou seu abraço, simplesmente aconselhe: “Não leva para o lado pessoal.”
{Baseado em um artigo do site http://everydayfeminism.com}

Mas o que crianças veganas comem?

Faz tempo que não escrevia no blog…. Minha página anda com o foco bem aberto na maternidade e eu não tenho falado tanto de veganismo por aqui. Muita gente que chegou ultimamente na página veio me perguntar mais informações sobre a dieta vegana para crianças e eu resolvi fazer esse post!

Minha filha de 15 meses acabou de começar a realmente se interessar em comida… Ufa! Temos conseguido sentar 3 vezes por dia e comer todo o prato ❤ ….E ainda fazer lanches entre as refeições. Mas o que uma criança vegana come?

Vou descrever um exemplo de dia inteirinho de refeições daqui de casa e no fim vou analisar nutricionalmente com ajuda do site Cronometre.

>> Começamos o dia com uma linda e longa mamada ao acordar.

Café-da-manhã: Amasso 1/3 de uma banana, adiciono aveia, coloco um pouco de LSA (mistura triturada de semente de linhaça, amêndoas e semente de girassol) ou farinha de chia, e também um pouquinho de leite de amêndoas para deixar a mistura mais molinha. As vezes troco o leite de amêndoas por umas colheres de iogurte de soja (ou coco, depende do que tenho disponível em casa).

Enquanto ela come isso, geralmente eu estou me atracando no meu pão torrado com abacate. Ela sempre acaba comendo umas 2 ou 3 colheres do abacate que eu raspo do meu pão e divido com ela.

Para beber: água.

a873b5cea793ea9deb501dc1ff099ff5.jpg

Lanchinho da manhã: Alguma fruta. Pequenas quantidades… as favoritas são morango, uva, mirtilo e melão.

Unknown-3.jpeg

Almoço: Sopa de lentilha com arroz integral. Sempre em alguma refeição do dia rola leguminosas, sendo lentilha, feijão ou grão-de-bico os mais comuns! Adiciono algum vegetal, geralmente abobrinha ou cenoura. Além disso, eu trituro uma folha de couve e adiciono no cozimento. Tempero muito bem com alho-poró, alho normal, cebolinha e salsinha. Sirvo com um pouquinho de sal rosa e um fiozinho de óleo de linhaça.

Para beber: água.

cb901553430290efde13c67c5aab0feb.jpg

Mamada: Se ela estiver em casa, esse é o horário de dormir. Antes de dormir, rola uma mini mamada também. Se estiver na creche, ela toma um pouquinho de leite de soja, ou de amêndoas ou de coco (sempre vario).

Lanchinho da tarde: Crackers de arroz ou algum outro tipo.

Rice-Crackers-with-Minced-Tofu-Dip-730x390.jpg

Janta: Purê de cenoura, bata inglesa e batata-doce juntos. Tempero com alho, cebolinha, salsinha, alho-poró ou o que tiver junto. E quinoa cozida com brócolis. Sirvo com um pouquinho de sal rosa e um fiozinho de óleo de linhaça.

Para beber: água.

b825a3f04007b0853e0a51c03add0b93.jpg

Antes de dormir: mamada.

Primeiro eu coloquei o perfil e idade dela no cronometre, saiu que ela precisava mais ou menos de 700-800kcal por dia. Ela passou um pouco, esse dia deu 900kcal. Mas eu não tenho certeza da quantidade de leite materno que ela toma, então isso pode ter variado um pouco a mais ou menos…

Apareceu a seguinte imagem:

Screen Shot 2016-03-20 at 12.08.42 AM.png

Nenhuma novidade, né? A minha filha já toma suplemento de vitamina B12 diariamente, e eu não achei a opção de adicionar suplemento ali na lista desse site.

Proteína, fibras alimentares, ferro e cálcio não foram problema! Além disso, também tem o Zinco e os Omegas que são preocupação, e ela conseguiu consumir direitinho o necessário (graças a chia e linhaça). Aliás proteína é até de se rever. Em vez de dar duas fontes ricas (lentilhas e quinoa), eu acho que devo reduzir a uma apenas, ela está consumindo o dobro do que precisa!

Mais umas imagens interessantes:

Screen Shot 2016-03-20 at 12.11.28 AM.png

Apareceu água pouca pois eu não coloquei a quantidade correta, ela toma muita água o dia inteiro (foi a primeira palavra que aprendeu a falar, rs).Screen Shot 2016-03-20 at 12.13.01 AM.png
Omega 6 não completou mas não ficou muito baixo não.
Screen Shot 2016-03-20 at 12.12.36 AM.png
B12 como já falei e como era esperado, o 25% que ela consumiu foi o que tinha no meu leite materno. Vitamina D, bom ela tomou seu banho de sol diário 😉 … Zinco também costuma ser uma preocupação entre veganos, mas olha ali!

Conclusão: dá para manter uma criança vegana super saudável, sem dúvidas 🙂 

Entre as comidas favoritas estão:
>> macarrão ao sugo ou a bolonhesa de soja.
>> quibe de berinjela
>> lasanha de proteína de soja
>> panqueca de legumes
>> stir-fry de vegetais com tofu
>> pirão de feijão
>> sopinha de feijão com macarrão
>> grão-de-bico cozido com vegetais
>> sopa de legumes
>> bolinhos de espinafre com abobrinha
>> sopa de abóbora ou purê de abóbora
>> escondidinho de mandioca com legumes
>> almôndegas de soja
>> cevada com legumes e ao leite de coco